Você sabe calcular o custo do equity de uma empresa?

1824

O custo de capital é um ponto crucial na análise de qualquer empresa. As companhias possuem duas formas de se financiar: via dívida ou via ações (equity). Nesse artigo vamos explicar o cálculo do custo do equity.

O custo do equity é o custo que a empresa enfrenta quando capta recursos via emissão de ações. O método mais comum e utilizado pelo mercado para estimar esse custo é por meio do modelo CAPM (Capital Asset Pricing Model), que utiliza a relação de que o retorno esperado (ou requerido) pelo investidor é igual a taxa livre de risco mais um prêmio por correr o risco do mercado acionário. Tal relação é ilustrada na equação abaixo.

Nessa equação, a taxa livre de risco deve ser a de longo prazo e de um ativo que não tenha risco de default. Na vida real tal ativo não existe, pois por menor que seja, sempre existe o risco do default. Na prática, costuma-se utilizar instrumentos que mais se aproximam dessa característica, tipicamente títulos do governo.

Vale ressaltar também que a expressão (rm – rf) é conhecida como equity risk premium ou prêmio de risco do mercado.

Exemplo prático

Imagine que você precise estimar o custo do equity para uma empresa brasileira, como você faria isso?

O primeiro passo é calcular a taxa livre de risco. Como se trata de uma empresa brasileira, uma alternativa é utilizar a taxa do título público de 10 anos. Outra alternativa é utilizar a taxa do titulo americano de 10 anos e somar a isso o diferencial de inflação esperado e somar o risco país (CDS) do Brasil.

O segundo passo é encontrar o beta da empresa em questão. Empresas com volatilidade mais alta do que a bolsa tem beta maior do que 1, enquanto empresas com volatilidade mais baixa tem beta inferior a 1. Você pode estimar o beta por meio de uma regressão utilizando os retornos diários da ação da empresa e os retornos diários da bolsa. Para empresas não listadas, pode-se estimar o beta por meio de empresas similares, que atuam no mesmo setor e que tem produtos parecidos.

O último passo é decidir o equity risk premium. Tipicamente se utiliza um valor entre 5% e 7%, que são valores que fazem sentido teórico e que já foram validados em diversos trabalhos empíricos.

Dito isso, digamos que o título público de 10 anos tenha a taxa de 7% ao ano, a empresa seja tão arriscada quanto o mercado e a gente utilize um equity risk premium de 5%. Nesse cenário o custo do equity para essa empresa será de 12% (7% + 1*(5%)).

O custo do equity é um tema muito relevante no valuation das empresas e exploraremos bastante esse assunto em posts futuros. Fique ligado!