Resultado Mensal (Novembro/23)

0
3789

Novembro foi um mês positivo para os mercados de risco mundialmente. Nos EUA, os dados de atividade econômica e inflação deram sinais de acomodação. O indicador mensal de inflação ao consumidor de outubro veio abaixo do esperado pelo mercado e desacelerou em comparação com o mês anterior. Além disso, o relatório mensal de emprego mostrou uma criação de vagas menor que a esperada e um leve aumento na taxa de desemprego. Ambas divulgações favorecem a tese de desinflação aguardada desde que o Federal Reserve iniciou aumentos de juros no início de 2022. Com isso, a taxa dos títulos públicos com vencimento em 10 anos nos EUA caíram dos 4,88% do final de outubro para 4,33%. Essa mesma taxa havia subido consistentemente entre abril/23 e outubro/23 devido à persistência do crescimento econômico americano em níveis acima do considerado sustentável. Isso serviu de desafio para ativos de risco, pois os títulos públicos concorrem com esses ativos pela poupança dos agentes econômicos. Novembro trouxe uma trégua desse movimento, dando fôlego às bolsas de valores. O S&P 500, principal índice de ações americano, subiu +8,9%, puxado pelas empresas de tecnologia Microsoft, Apple, NVIDIA, Tesla e Amazon. Aqui no Brasil, onde a queda dos juros em títulos públicos pré-fixados foi até maior (entre 90 e 100 pontos-base a depender do vencimento), o Ibovespa teve alta de +12,5%. Por aqui as maiores altas vieram das ações de Vale, Itaú, Eletrobras, B3, Bradesco e Banco do Brasil.

Resultado do Versa Institucional FIA (nossa principal carteira de ações)

Nossa carteira de ações long, representada pelo fundo Versa Institucional FIA, subiu +16,4% em novembro. As maiores altas da carteira foram as ações de BR Partners, JBS, Multilaser, Guararapes e Banco do Brasil. Todas essas ações se beneficiaram da queda dos juros no mês. 

No caso da JBS, houve também a divulgação dos resultados do 3o trimestre de 2023, que mostrou contínua melhoria de rentabilidade das diversas divisões de negócios da Cia. Ao longo de 2022 a JBS sofreu com queda de resultados devido à natureza cíclica do seus negócios, que se beneficiaram sobremaneira durante a pandemia (queda de juros e ciclo de gado favorável nos EUA). Investimos na JBS em julho deste ano, mirando a recuperação da rentabilidade da Cia devido à virada de ciclo em cada um dos seus negócios e também devido às iniciativas internas da empresa para reduzir custos e melhorar eficiência das operações. O 3o trimestre deste ano foi o 2o trimestre consecutivo de melhora de rentabilidade. Isso vem ajudando o desempenho das ações da JBS, conforme nossa expectativa. Acreditamos que o ciclo de melhora da JBS está ainda no início, dado que seu maior negócio (carne bovina nos EUA) ainda não voltou ao ponto do ciclo com ampla oferta de gado (e custos menores para o frigorífico). A JBS ainda está longe da sua rentabilidade potencial (margem de mid-cycle, como chamamos), e quando atingi-la novamente terá um lucro potencial que faz do atual valor da empresa uma barganha (3,5x P/E). Além disso, a empresa está em processo de listagem de suas ações localmente nos EUA, o que pode aumentar o apetite do investidor estrangeiro para sua tese de investimento e ajudar o valor da empresa a se aproximar dos seus pares fora do Brasil. É uma tese bem do DNA da Versa: empresa barata com potencial de aumento de lucro e de múltiplos de valuation.

Institucional FIA
+Posição Long16,65%
+Caixa e custos-0,20%
=Total16,45%
-Benchmark (Ibov)12,54%
=Excesso Benchmark3,91%
Destaques do mês- Institucional FIA
MaioresContribuiçãoMenoresContribuição
BR Partners3,44%Blau0,01%
JBS1,98%Energisa0,11%
Multilaser1,92%Grupo Soma0,27%
Banco do Brasil1,58%Even0,59%
Guararapes1,41%Neoenergia0,60%

Resultado dos fundos Long-Biased (carteira de ações mais alavancagem)

Os fundos long-biased surfaram a alta da carteira de ações long. A alavancagem dos mesmos causou um retorno de +30,3% no Versa e +22,5% no Fit.

Versa Long Biased
Carteira long (Institucional)16,45%
x
Alavancagem2,08
+Posição Long35,11%
Carteira short (Bova11)17,1%
x
Alavancagem short-0,41
=
+Posição Short-7,02%
+Vol1,53%
+Financiamento, Caixa e Custos0,64%
=Total30,26%
-Benchmark (CDI)0,92%
=Excesso Benchmark29,34%
Fit Long Biased
Carteira long (Institucional)16,45%
x
Alavancagem1,78
+Posição Long30,36%
Carteira short (Bova11)14,9%
x
Alavancagem short-0,67
=
+Posição Short-9,95%
+Vol1,50%
+Financiamento, Caixa e Custos0,62%
=Total22,53%
-Benchmark (CDI)0,92%
=Excesso Benchmark21,61%

Resultado do fundo Versa Genesis

No mês de Novembro, o fundo Genesis, que se concentra em uma carteira de empresas atreladas à inflação e mantém uma alavancagem próxima a 190%, registrou um aumento significativo de +25,8%. Este desempenho notável foi impulsionado em parte pela excelente performance dos ativos no setor de utilities. O índice de utilities (UTIL) subiu +11,6% no mês. Destaca-se que os ativos específicos do segmento de utilities no Genesis superaram esse índice, com um aumento de +14,9%.

Empresas que haviam sido os maiores detratores de performance no mês anterior, como Copasa e Ecorodovias, contribuíram expressivamente para os resultados positivos em Novembro. Ecorodovias reportou resultados encorajadores, evidenciando um tráfego de veículos robusto aliado a um controle de custos notável. Já a Copasa reverteu a queda do mês anterior, continuando a apresentar resultados positivos e anunciando a intenção de pagar dividendos extraordinários. Esperamos que o dividend yield da Copasa para 2023 ultrapasse 12%, com potencial de manutenção desses níveis para 2024. Com o payout habitual de 50% do lucro líquido, o yield da ação se situa em torno de 10%.

No entanto, o mês também trouxe desafios, especialmente para Copasa e Cemig. O governo de Minas Gerais indicou o interesse em aderir a um plano de renegociação de dívidas que implicaria na federalização de empresas estaduais como Cemig e Copasa. Esse anúncio foi surpreendente, dada a existência de um plano prévio para equalização das dívidas do estado que incluía a privatização dessas empresas. Além disso, o governador Romeu Zema manifestou em diversas ocasiões seu apoio à privatização da Cemig e também da Copasa.

Diante desta notícia, optamos por liquidar uma posição menor que o fundo mantinha em Cemig. Mantemos a posição em Copasa, fundamentados na crença de que, com a federalização, teríamos direito ao tag-along decorrente da mudança de controle, e que o valor do tag-along provavelmente superaria o valor de mercado atual para poder dessa forma favorecer a situação fiscal do estado de Minas Gerais. Enquanto aguardamos o desfecho desta situação, continuamos a ser recompensados com um dividendo anual de pelo menos 10%.

Genesis
Carteira long14,38%
x
Alavancagem1,86
=
+Posição Long26,78%
+Financiamento, Caixa e Custos-0,93%
=Total25,84%
-Benchmark (IPCA +YIMA-B)0,70%
=Excesso Benchmark25,14%
Destaques do mês - Genesis
MaioresContribuiçãoMenoresContribuição
EcoRodovias7,05%Cemig-0,61%
Energisa3,38%Copel1,41%
Copasa3,33%Telefonica Brasil1,68%
Neoenergia2,46%TIM1,72%
Allos2,29%CPFL Energia1,95%

Resultado do fundo macro Versa Tracker

O Versa Tracker teve alta de +33,4% em Novembro. Seu principal ganho veio da posição aplicada nos juros pré-fixados. Como dito no início da carta, houve queda nas taxas de juros pré-fixadas no Brasil. Essa posição contribuiu +21,08 pontos percentuais da alta do fundo. O Tracker também teve ganhos com a carteira de ações long e RFStocks.

Tracker
+Bolsa11,61%
+Macro21,08%
+Hedge0,00%
+Caixa e Custos0,73%
=Total33,41%
-Benchmark (CDI)0,92%
=Excesso Benchmark32,49%

Agradecemos a confiança depositada.

Atenciosamente,


Equipe Versa

Disclaimer: As opiniões, análises e informações contidas nesse artigo não constituem recomendação de investimento, nem tampouco material de oferta para subscrição, compra ou venda de títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, cotas em fundos de investimento ou qualquer produto ou serviço de investimentos. Declarações contidas neste artigo relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros, bem como referências ao potencial de crescimento das companhias citadas, constituem meras previsões, baseadas nas expectativas do analista responsável em relação ao futuro. Essas expectativas são altamente dependentes de fatores incertos, como o comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, cada declaração aqui escrita está sujeita a mudanças, e não deve ser utilizada como insumo para qualquer estratégia de investimento pessoal ou institucional. A Versa Gestora de Recursos Ltda., seus sócios e colaboradores, por meio dos fundos de investimentos da casa, podem ou não estarem posicionados em títulos e valores mobiliários de emissores aqui mencionados, de forma que eventualmente influencie nas opiniões e análises aqui presentes.