Resultado Mensal (Nov/19): Versa +6,0%; Fit +2,9%; Charger +5,5%; Tracker -0,4%

1564

Carta Mensal

O mês de novembro foi positivo para as bolsas no mundo, com desempenho positivo para os principais índices de ações diante de uma melhora nas negociações entre China e EUA e dados fortes vindo da economia americana. O S&P 500 subiu +3,4% no mês. O Ibovespa teve alta de +0,95%. As negociações entre EUA e China sobre a guerra comercial avançaram em direção a um possível acordo em fases. Os indicadores econômicos nos EUA continuaram a mostrar crescimento robusto, com o PIB do terceiro trimestre crescendo +2,1% (tri/tri, anualizado), acima da expectativa de +1,9% e também mais forte que o trimestre anterior.

O mês foi positivo para os livros long & short dos fundos da casa, sustentando altas de +5,96%, +2,89% e +5,49% nos fundos Versa, Fit e Charger, respectivamente. Nosso fundo macro Tracker sentiu os efeitos positivos do livro long & short, mas sofreu perdas na estratégia cambial devido à alta do dólar frente ao real (+5.45%). A alta do dólar surpreendeu nossas expectativas devido a quase falta de participação de petroleiras estrangeiras no leilão de barris excedentes da cessão onerosa em 06/11. De forma geral, enxergamos os fatores que elevaram o dólar em novembro como passageiros. Um fim na guerra comercial entre EUA x China favorece o crescimento global e a balança comercial brasileira. A queda do diferencial de juros está perto do fim. O crescimento da economia brasileira deve atrair investimentos estrangeiro direto, principalmente se o governo conseguir avançar na agenda de concessões de infraestrutura e corrigir os erros do leilão de excedentes da cessão onerosa. Detalhes sobre o desempenho de cada fundo da casa nas tabelas abaixo.

Resultados Fundos

31-out-1929-nov-19Variação
Versa6,426,81+5,96%
Fit0,950,98+2,89%
Tracker1,221,21-0,41%
Charger1,251,32+5,49%
CDI aa5,4%4,9%+0,38%
Ibovespa107.220108.233+0,95%

 

LivroPosição VersaP&L VersaPosição Fit P&L
Fit
Long249,7%+14,81%130,2%+7,45%
Short-163,3%-4,58%-86,2%-2,28%
Opç Bolsa116,6%-1,13%65,0%-0,60%
Opç Dol-47,7%-3,34%-27,0%-1,86%
CDI+0,4%+0,4%
Taxas-0,2%-0,2%
Resultado+5,96%+2,89%

 

LivroPosição ChargerP&L Charger
Long100%+6,89%
Taxas-1,40%
Resultado+5,49%

 

LivroPosição TrackerP&L Tracker
Long/Short5,4%+1,42%
Câmbio-52,4%-2,64%
Pré10,5%+0,21%
RF-Stocks20,8%+0,27%
CDI+0,4%
Taxas-0,1%
Resultado-0,41%

 

Destaques Positivos

O principal destaque no mês veio das ações da Gerdau, que subiram por conta da melhora do setor de construção civil no Brasil, o aumento do preço do aço na China e a alta do dólar (positivo para preço do aço no mercado doméstico). O crescimento da economia doméstica impulsionou também as ações da Via-Varejo, Trisul e BR Properties. As ações da Iochpe reagiram à melhora nas negociações entre EUA e China. A Iochpe é uma das empresas mais “globais” na bolsa brasileira. Ela se beneficiaria de um maior crescimento mundial advindo da trégua na guerra comercial.

Δ AçãoVersaFit
GGBR4+26,58%+2,85%+1,41%
VVAR3+18,73%+2,49%+1,26%
TRIS3+10,82%+2,49%+1,23%
BRPR3+5,93%+1,71%+0,85%
MYPK3+10,95%+1,42%+0,73%

maiores ganhos em novembro

Destaques Negativos

Do lado negativo, destacamos as posições vendidas a descoberto em Weg, Klabin e Suzano. As ações da Weg subiram +19.3% em novembro, desafiando novamente os limites do que achamos razoável para o valuation da Cia. Admitimos que a Weg é uma das melhores empresas brasileiras, mas discordamos do preço da ação. Mais detalhes no nosso artigo sobre a empresa. As ações do setor de papel e celulose (Klabin e Suzano) reagiram à alta do dólar e, de forma exagerada em nossa visão, à redução de estoque de celulose reportado pela Suzano no resultado do terceiro trimestre. Respondendo à queda relevante de preços da celulose no primeiro semestre de 2019, a Suzano reduziu sua produção de celulose e negociou maiores volumes de venda com clientes na China a preços baixos. Com isso, conseguiu se livrar de parte do estoque excedente que mantinha nos portos da China. A redução de estoque foi favorável para a geração de caixa da Cia no 3T19, mas não indica em nossa visão que os desafios do setor acabaram. É normal que empresas que decrescem, como a Suzano decresceu no 3T19 (faturamento -32% a/a), liberem capital de giro. É o guarda-chuva no meio da tempestade. Não é o fim da tempestade. O efeito se fortalece quando a produção cai mais que as vendas. No final, questionamos se o estoque total da cadeia realmente caiu ou simplesmente foi transferido do produtor para o cliente, criando desafios para vendas no futuro próximo. Na notícia especializada do setor, há relatos de que a venda de celulose recentemente cresceu mais que a venda de papel na China. Não parece, em nossa visão, que o desafio de demanda acabou. Desde o 3Q19, o preço da celulose na China já caiu ~8%.

Δ AçãoVersaFit
WEGE3+19,29%-1,83%-1,00%
KLBN11+12,01%-1,04%-0,52%
PETR4-4,08%-0,84%-0,50%
SUZB3+18,14%-0,68%-0,34%
VIVT4+5,97%-0,55%-0,30%

maiores perdas em novembro

Disclaimer: As opiniões, análises e informações contidas nesse artigo não constituem recomendação de investimento, nem tampouco material de oferta para subscrição, compra ou venda de títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, cotas em fundos de investimento ou qualquer produto ou serviço de investimentos. Declarações contidas neste artigo relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros, bem como referências ao potencial de crescimento das companhias citadas, constituem meras previsões, baseadas nas expectativas do analista responsável em relação ao futuro. Essas expectativas são altamente dependentes de fatores incertos, como o comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, cada declaração aqui escrita está sujeita a mudanças, e não deve ser utilizada como insumo para qualquer estratégia de investimento pessoal ou institucional. A Versa Gestora de Recursos Ltda., seus sócios e colaboradores, por meio dos fundos de investimentos da casa, podem ou não estarem posicionados em títulos e valores mobiliários de emissores aqui mencionados, de forma que eventualmente influencie nas opiniões e análises aqui presentes.