Resultado Mensal (Dezembro/23)

0
3006

Os mercados de risco mundialmente tiveram um mês positivo em dezembro, fechando um 2023 também positivo, fruto da evolução do cenário de desinflação global que vem permitindo desde meados de outubro/2023 a queda dos juros nos títulos públicos americanos e por consequência a recuperação dos ativos de risco como ações. O S&P 500, principal índice americano de ações, subiu +4,4% em dezembro para fechar 2023 com alta de +24,2%. Por aqui o Ibovespa subiu +5,4% em dezembro e acumulou alta de +22,3% no ano.

A agenda legislativa foi movimentada no Brasil no final do ano, com o senado aprovando a reforma tributária e a MP das subvenções. A primeira simplifica o sistema tributário brasileiro, visando aumentos de produtividade na economia ao longo das próximas décadas. A segunda auxilia o Ministério da Fazenda na meta fiscal de 2024 ao tributar incentivos fiscais estaduais. Mesmo a primeira tendo impacto mais de longo prazo e a segunda sendo só um passo em um trabalho duro de atingir a meta fiscal de 2024, estas foram medidas positivas para a economia ao endereçarem conceitos importantes para a trajetória da dívida pública, pelo lado da arrecadação e pelo lado do PIB potencial. A trajetória da dívida pública brasileira é o tema mais importante para os juros e por consequência para o mercado de capitais. O ano de 2023 foi marcado inicialmente por elevado risco fiscal, risco esse que gradualmente se reduziu com a aprovação do arcabouço fiscal que estabelece uma meta de déficit zero em 2024. A meta é ambiciosa, de difícil cumprimento, e por vezes desprezada por representantes do governo fora do Ministro da Fazenda. A determinação da Fazenda e o apoio do Congresso, expresso na aprovação da MP das subvenções, sustentaram no mercado de capitais certo benefício da dúvida que permitiu aos juros e à bolsa brasileira surfar a onda de otimismo vinda lá de fora.

Entramos portanto em 2024 com a queda dos juros em curso, na principal economia do mundo (EUA) e aqui no Brasil, reduzindo gradativamente a dose do remédio amargo tomado pela economia na saída da pandemia para combater a inflação. Trata-se de um ambiente propício ao otimismo com ativos de risco, em especial aqueles mais sensíveis aos juros, dentre os quais destacamos ações ligadas ao varejo, ao setor imobiliário e ao crescimento futuro, todos presentes na carteira principal de ações vista nos fundos da Versa. Com a ressalva de que, como em 2023, nosso lugar nessa onda depende ainda da consolidação da agenda fiscal onde o risco é sempre presente, acreditamos que há condições para que a recuperação dos mercados que iniciou no 2o semestre de 2023 continue adiante.

Resultado do Versa Institucional FIA (nossa principal carteira de ações)

Nossa carteira principal de ações, representada pelo Versa Institucional FIA, teve alta de +7,6% em dezembro e acumulou alta de +21,6% em 2023. As maiores contribuições ao desempenho do fundo em dezembro foram Grupo Soma, BR Partners, Even, JBS e Vivara. No ano, as maiores contribuições vieram de BR Partners, Banco do Brasil, Trisul, JBS, Even e Vulcabras.

Institucional FIA
+Posição Long7,74%
+Caixa e custos-0,19%
=Total7,55%
-Benchmark (Ibov)5,38%
=Excesso Benchmark2,17%
Destaques do mês- Institucional FIA
MaioresContribuiçãoMenoresContribuição
Grupo Soma2,40%Multilaser-0,53%
BR Partners1,75%Vulcabras-0,36%
Even1,09%Vittia0,11%
JBS0,91%Energisa0,13%
Vivara0,69%Trisul0,22%

Resultado dos fundos Long-Biased (carteira de ações mais alavancagem)


No ano, os fundos long-biased não acompanharam o bom desempenho da carteira base de ações, por dois motivos: (1) por terem carregado no início do ano uma posição de hedge no S&P 500. Naquele momento, o elevado risco fiscal brasileiro gerou um desempenho fraco para ativos brasileiros em relação à bolsa americana, prejudicando o resultado dessa posição; e (2) por descasamentos naturais de tamanho de posição entre o Institucional FIA e os long-biased, causados por diferenças de liquidez entre os papéis. Com isso, apesar de nossa carteira principal de ações quando medida pelo Versa Institucional FIA ter acompanhado a alta do Ibovespa, o mesmo não aconteceu com o Versa e o Fit. O Versa terminou 2023 com queda de -5,8%. O Fit fechou 2023 com resultado praticamente zerado (-0,01%). Em dezembro, ambos fundos tiveram alta, com o Versa subindo +12,9% e o Fit subindo 10,4%.

Versa Long Biased
Carteira long (Institucional)7,55%
x
Alavancagem2,03
+Posição Long14,24%
Carteira short (Bova11)5,2%
x
Alavancagem short-0,49
=
+Posição Short-2,53%
+Vol0,58%
+Financiamento, Caixa e Custos0,59%
=Total12,88%
-Benchmark (CDI)0,89%
=Excesso Benchmark11,98%
Fit Long Biased
Carteira long (Institucional)7,55%
x
Alavancagem1,76
+Posição Long13,14%
Carteira short (Bova11)4,9%
x
Alavancagem short-0,79
=
+Posição Short-3,88%
+Vol0,58%
+Financiamento, Caixa e Custos0,52%
=Total10,36%
-Benchmark (CDI)0,89%
=Excesso Benchmark9,47%

Resultado do fundo Versa Genesis

O Genesis entregou forte desempenho em dezembro e no ano de 2023. O fundo tem duas características propícias a forte desempenho em cenários de queda de juros, como ocorrida em 2023: (1) ele se concentra em empresas com renda recorrente ligada à inflação, portanto os ativos nele presente concorrem diretamente com títulos públicos pós-fixados; e (2) ele trabalha com alavancagem (~190%). A queda de juros causou então a alta do Genesis tanto em dezembro como no ano fechado. O fundo subiu +13,1% em dezembro e +86,9% em 2023. As principais contribuições ao seu desempenho no mês foram Copasa, Ecorodovias, Neoenergia, Sabesp e TIM. No ano, as principais contribuições foram Ecorodovias, Allos, Neoenergia, TIM e Energisa.

Vale destacar que dentro do setor de telecomunicações zeramos nossa posição em Vivo e aumentamos nossa posição em Tim. Diante da compressão das TIRs implícitas dos papéis causada pela boa performance desde outubro, optamos por concentrar a posição do setor na empresa que oferece um maior retorno projetado e que pode se favorecer mais em um cenário benigno de preços causado por uma maior concentração no mercado de telefonia móvel e um ambiente econômico favorável.

Genesis
Carteira long7,20%
x
Alavancagem1,87
=
+Posição Long13,45%
+Financiamento, Caixa e Custos-0,37%
=Total13,08%
-Benchmark (IPCA +YIMA-B)0,81%
=Excesso Benchmark12,27%
Destaques do mês - Genesis
MaioresContribuiçãoMenoresContribuição
Copasa3,14%Cemig-0,03%
EcoRodovias2,61%Telefonica Brasil0,05%
Neoenergia2,58%Copel0,13%
Sabesp1,59%Energisa0,50%
TIM0,93%Copel0,52%

Resultado do fundo macro Versa Tracker

O Tracker também se beneficiou do cenário de queda de juros no mês de dezembro (quando o fundo subiu +11,7%) e ano de 2023 (+69,6%). Em ambas janelas, as maiores contribuições ao desempenho do fundo foram: (1) o fechamento da curva pré-fixada; e (2) a alta da carteira de ações que chamamos de RFStocks, as mesmas presentes do fundo Genesis.

Tracker
+Bolsa5,20%
+Macro5,97%
+Hedge0,00%
+Caixa e Custos0,48%
=Total11,65%
-Benchmark (CDI)0,89%
=Excesso Benchmark10,76%

Agradecemos a confiança depositada em 2023 e desejamos um feliz e próspero 2024 a todos.

Atenciosamente,

Equipe Versa

Disclaimer: As opiniões, análises e informações contidas nesse artigo não constituem recomendação de investimento, nem tampouco material de oferta para subscrição, compra ou venda de títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, cotas em fundos de investimento ou qualquer produto ou serviço de investimentos. Declarações contidas neste artigo relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros, bem como referências ao potencial de crescimento das companhias citadas, constituem meras previsões, baseadas nas expectativas do analista responsável em relação ao futuro. Essas expectativas são altamente dependentes de fatores incertos, como o comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, cada declaração aqui escrita está sujeita a mudanças, e não deve ser utilizada como insumo para qualquer estratégia de investimento pessoal ou institucional. A Versa Gestora de Recursos Ltda., seus sócios e colaboradores, por meio dos fundos de investimentos da casa, podem ou não estarem posicionados em títulos e valores mobiliários de emissores aqui mencionados, de forma que eventualmente influencie nas opiniões e análises aqui presentes.