GM anuncia parceria com Nikola Corporation para produção de veículos elétricos

Em acordo, GM produzirá picape Nikola Badger. GM será fornecedora exclusiva de células de combustível para Nikola Corporation. GM receberá US$2 bilhões em ações da Nikola, com participação de 11%.

847

A General Motors, investimento importante nos fundos da Versa, anunciou hoje uma parceria que traz peso à nossa tese de que uma das mais antigas montadoras de veículos do mundo terá papel importante na disrupção do setor de transporte, para que ele emita menos carbono, cause menos acidentes e gere menos congestionamento. A parceria, detalhada abaixo, demonstra confiança de um player importante do setor na tecnologia de bateria (Ultium Battery System) e célula de combustível detidas pela GM. A GM, que até pouco tempo atrás estava atrasada no redirecionamento do seu negócio para veículos elétricos e autônomos, já virou recurso importante para grandes agentes do setor que queiram participar dessa evolução. Além da empresa Nikola, objeto do anuncio de hoje, a GM tem parceria com a Honda para desenvolvimento de veículos elétricos e é acionista majoritária da Cruise Automation, uma empresa que está desenvolvendo um serviço de carona 100% elétrico e 100% autônomo. No momento da escrita deste artigo, as ações da GM sobem +9,0%.

Que parceria é essa?

Em parceria com a Nikola Corporation, a GM produzirá a picape Nikola Badger (veja a foto acima) e fornecerá de forma exclusiva as células de combustível de hidrogênio dos caminhões elétricos pesados da Nikola mundialmente (exceto Europa). Em troca, a GM receberá: (1) uma participação de 11% na Nikola, empresa listada na Nasdaq e com valor de mercado de US$19,8 bilhões; e (2) uma remuneração definida como “cost-plus”, em que a Nikola pagará à GM o custo de produção da Badger e das células de combustível para caminhões, acrescido de uma margem de lucro não informada. De acordo com a própria GM, o contrato trás US$4 bilhões em benefícios para a GM, juntando a participação na Nikola (~US$2 bilhões) com os lucros esperados na produção e comercialização dos produtos envolvidos no contrato. Não há previsão de compromisso de capital pela GM nesse contrato, dado que o investimento da Cia no desenvolvimento de veículos elétricos e autônomos já ocorre separadamente. Os US$4 bilhões de valor a ser gerado para a Cia representam aproximadamente 10% do valor da GM em bolsa no fechamento de quinta-feira passada.

Geração de valor – é mais que US$4 bilhões

Mais importante que o montante financeiro envolvido, a parceria reforça nossa confiança de que a GM será protagonista na disrupção do setor de transportes. Players com grande conhecimento e experiencia no setor estão optando por utilizar a tecnologia já em desenvolvimento pela GM ao invés de arriscarem com o desenvolvimento próprio. Para nós, isso demonstra duas fortalezas da GM no caminho da Cia para a direção elétrica e autônoma: (1) o desafio é grande suficiente para afastar até grandes agentes do setor da tentativa de desenvolver sozinhos a tecnologia de bateria e propulsão elétrica; e (2) a GM é forte e capacitada suficiente na empreitada para convencer quem antes planejava competir com ela em veículos elétricos a se juntar à GM. O fundador da Nikola, Trevor Milton, disse em teleconferência do anúncio da transação agora há pouco que a Nikola tentou desenvolver a tecnologia internamente e recebeu propostas para parcerias de diversas outras montadoras do mundo. De todas as opções, o caminho que mais fez sentido foi se juntar à GM. Para nós, isso é um forte sinal de que a boa e velha GM é um dos melhores ativos para surfar as mudanças tecnológicas do setor de transporte, seja em bolsa (como acionistas) ou na vida real (como atuante do setor).

Mesmo com a alta de hoje, as ações da GM seguem baratas frente aos fundamentos da Cia, negociando abaixo de 7x lucro de 2019 e ainda abaixo do que negociavam antes da pandemia do coronavírus.

Mais sobre a Badger: A Badger é a primeira picape da Nikola Corporation. Ela promete ir de 0 a 60 milhas/hora (~96.6 km/h) em menos de 3 segundos. Além disso, deverá fornecer até 980 libras-força pé de torque, até 906 cavalos e até 600 milhas (~966 km) de autonomia. A picape terá duas versões: uma elétrica e uma movida à célula de combustível de hidrogênio, ambas produzidas pela GM a partir do final de 2022.

Mais sobre a Nikola Corporation: A empresa foi fundada em 2014 no estado de Utah (EUA) e teve sua abertura de capital em meados de 2020. Com a alta de ~47% das ações hoje, a empresa atingiu o valor de mercado de ~US$19,8 bilhões. Com zero faturamento em 2019, a Nikola está em fase inicial de lançamento, produção e comercialização de veículos elétricos pesados, com foco em caminhões. Seu primeiro veículo leve, a Nikola Badger, terá inicio de produção no final de 2022. Mais informações sobre a Cia aqui.

Disclaimer: As opiniões, análises e informações contidas nesse artigo não constituem recomendação de investimento, nem tampouco material de oferta para subscrição, compra ou venda de títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, cotas em fundos de investimento ou qualquer produto ou serviço de investimentos. Declarações contidas neste artigo relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros, bem como referências ao potencial de crescimento das companhias citadas, constituem meras previsões, baseadas nas expectativas do analista responsável em relação ao futuro. Essas expectativas são altamente dependentes de fatores incertos, como o comportamento do mercado, da situação econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais. Portanto, cada declaração aqui escrita está sujeita a mudanças, e não deve ser utilizada como insumo para qualquer estratégia de investimento pessoal ou institucional. A Versa Gestora de Recursos Ltda., seus sócios e colaboradores, por meio dos fundos de investimentos da casa, podem ou não estarem posicionados em títulos e valores mobiliários de emissores aqui mencionados, de forma que eventualmente influencie nas opiniões e análises aqui presentes.